Olho no Olho

Campo Belo do Sul

Fernando Junior Ambrosio

Os 100 anos da cultura japonesa no Brasil

Engenheiro Agrônomo Roberto Atuchi Yamanishi, 43 anos, é o entrevistado desta edição. Natural de Ibiúna-SP, Roberto vive atualmente com a esposa Regina Mayumi Takahashi Yamanishi e os filhos Aline Yukari , Larissa Kaori e Camila Akina, no Município de Campo Belo do Sul.

Na entrevista, ele revela entre outras coisas, a história de seus familiares, que deixaram o Japão em busca de novas oportunidades no Brasil.

Correio dos Lagos - Conte a história da chegada de sua família ao Brasil?

Roberto Atuchi Yamanishi - A Família Yamanishi liderada pelo meu Avô Sr. Morima, deixou a Província de Kochi Japão em 1957, juntamente com sua esposa Kiyo e os filhos Kenjiroo recém-casado com Michiyo (meus pais), Tetsuo, Masakazu, Miki e Taka para se instalar em Ibiúna ? SP a convite de seu primo que já se encontrava no Brasil para trabalhar na cultura da batata, à qual a família dedicou aproximadamente 20 anos até iniciar as atividades com fruticultura em Campo Belo do Sul.

Correio dos Lagos - Então você faz parte da primeira geração no Brasil?

Roberto - Sim, sou \"nissei\", isto é, filho de pais japoneses.

Correio dos Lagos - Por que escolheram Campo Belo do Sul para viver?

Roberto - A convite do meu tio Tetsuo, que veio inicialmente a São Joaquim para desenvolver a cultura da maçã, mas que no entanto ficou mais estimulado a plantar batata semente e pelo fato de São Joaquim não oferecer solos mecanizáveis, acabou conhecendo os campos de Campo Belo do Sul e pelo bom momento que esta atividade estava passando, estendeu o convite aos demais da família que já vinham desenvolvendo a mesma atividade em Pilar do Sul ? SP e se apaixonaram pelas oportunidades que esta terra propiciou.

Correio dos Lagos - Quais as principais diferenças existentes entre a cultura japonesa e a brasileira?

Roberto - É diferente em quase tudo, principalmente pelo fato de estarmos situados geograficamente muito distante. Pesa mais o fato do Japão ser uma ilha e ter ficado fechado e isolado do mundo até um passado recente.

Correio dos Lagos - E as semelhanças?

Roberto - Não seria bem cultural, mas admiro a inteligência, que o brasileiro expressa através da criatividade e versatilidade e, o japonês consegue pela soma da observação e persistência.

Correio dos Lagos - O cultivo do kiwi foi uma cultura trazida do Japão?

Roberto - A idéia e a motivação para o cultivo teve forte influência. O interesse surgiu quando um pesquisador japonês enviado para a missão da maçã em São Joaquim confiou algumas mudas para observação em Campo Belo do Sul e, que posteriormente foi pesquisado pelo meu irmão Jorge durante um intercâmbio naquele país.

Correio dos Lagos - Sabes me dizer quantos japoneses vivem no Brasil, atualmente?

Roberto - De acordo com as informações, aproximadamente um milhão e quinhentos mil descendentes, que aliás é a maior colônia japonesa fora do Japão.

Correio dos Lagos - E em Santa Catarina?

Roberto - Não saberia precisar, mas as maiores colônias estão presentes em São Joaquim, Frei Rogério, Curitibanos, Caçador e, nos grandes centros como Joinville, Florianópolis, Itajaí e Lages.

Correio dos Lagos - O que você mais admira da terra natal de seus pais?

Roberto - A logística que eles possuem, tanto no transporte de produtos, como no transporte de pessoas. A disciplina nos horários e, na qualidade do serviço são referências mundiais.

Correio dos Lagos - Visita o Japão regularmente ou não tem esse interesse todo?

Roberto - Morei dezoito meses na Província de Shizuoka, através de um intercâmbio técnico que tive oportunidade de fazer após a minha faculdade. Tive a oportunidade de conhecer o Japão de norte a sul e, sonho com a possibilidade de apresentá-lo às minhas filhas, pois tudo lá é muito belo, bem conservado. É um país maravilhoso para turistas do mundo todo. Vale a pena !

Correio dos Lagos - Você considera que os imigrantes japoneses foram bem recebidos pelos brasileiros?

Roberto - Para termos a maior colônia japonesa fora dela, acho que já respondi. Gostaria de aproveitar aqui a oportunidade de agradecer estendendo a todos os brasileiros dos diversos rincões do Brasil que acolheram e acreditaram nessa parceria tão produtiva que oportunamente completou 100 anos. O respeito, o carinho com que este momento histórico foi retratado e celebrado aqui no Brasil pelos meios de comunicação, me encheu de orgulho !!

Correio dos Lagos - Se pintasse a oportunidade de viver na terra do sol nascente, aceitaria ou preferia continuar no Brasil?

Roberto - Muita gente me faz esta pergunta. Como já relatei, acho o Japão um país fantástico, mas não troco por este país maravilhoso, encantador e cheio de oportunidades.

Correio dos Lagos - Pelo que se tem conhecimento, todos os japoneses que vieram para cá, deram-se bem e conquistaram o sucesso desejado. Na sua opinião isso é resultado de que?

Roberto - Persistência e disciplina. É a maior virtude deles, que nós estamos tentando assimilar todo dia e repassar às novas gerações.

Correio dos Lagos - Ainda conserva a gastronomia japonesa na sua casa?

Roberto - Sim, pois adoro a sua culinária. Conservo desde o arroz japonês que é o principal ingrediente, até os cozidos de verduras, muita salada, conservas até o hábito de comer peixe.

Correio dos Lagos - Qual o prato mais apreciado por você e sua família?

Roberto - O sushi, nas mais diversas formas de apresentação (temaki, norimaki, entre outras) que é arroz japonês temperado enrolado em alga marinha com recheios diversos entre eles, o peixe cru.

Correio dos Lagos - Você recomenda uma visita ao Japão?

Roberto - Sempre que possível. Não só ao Japão, mas para qualquer parte do mundo ou do próprio Brasil. O crescimento pessoal e cultural que adquirimos com estas viagens, são imensuráveis.

Correio dos Lagos - O que as pessoas podem esperar de lá?

Roberto - Segurança, paisagens exuberantes, muita história através de seus castelos , templos e, também muito shopping tour, pois em termos de objetos de desejo seja eletrônico, vestuário, souvenirs, etc ... é de deixá-lo maluco !

Correio dos Lagos - E por fim, deixe uma mensagem aos nossos leitores.

Roberto - Acredite no seu potencial. Motive-se, busque elevar a sua auto-estima, pois é o que realmente faz a diferença em nossas vidas.

 




correiodoslagos

EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos