Facvest virando universidade

Lages

Fernando Junior Ambrosio

A Facvest iniciou sua jornada em 1998 com apenas 80 alunos, hoje tem mais de 5 mil, distribuídos em 31 cursos. Desde o início, seu fundador, Geovane Broering, sonhava em transformar a instituição em universidade. Em breve o MEC fará uma visita à Facvest, para oficializar a criação do Centro Universitário.

Mas, qual é a diferença entre uma faculdade e uma universidade? A diferença está na quantidade dos cursos oferecidos e autorizados pela instituição de ensino superior. Para que uma faculdade se transforme em universidade deve contar com cursos em todas as áreas do conhecimento e ter um corpo docente compatível, ou seja, é necessário uma proporcionalidade entre professores graduados, com especialização (lato-sensu), mestrado e doutorado. O corpo docente da Facvest já atende as exigências do MEC, dos 200 professores, 90% têm mestrado ou doutorado, pois como explica o diretor, "é uma grande preocupação da instituição proporcionar um ensino de qualidade aos seus acadêmicos".

Geovane Broering explica que os passos necessários para a transformação, iniciam com um projeto que é submetido a apreciação do Ministério de Educação. Com a estrutura regimental em ordem, o MEC visita a instituição e confirma a transformação de faculdade em Universidade. "Já passamos por todas esta fases e agora só esperamos a visita para a confirmação", explica Geovane. Ele está de viajem marcada para Brasília, afim de marcar a data da visita do MEC à instituição. Com o funcionamento da universidade serão abertos novos cursos, como medicina, zootecnia, veterinária, odontologia, algumas engenharias.

Lages conta hoje com duas universidades - a Uniplac e a Udesc -, mas nenhuma delas oferecem tantos cursos. Apesar das dificuldades burocráticas, a concorrência desleal, em nenhum momento Geovane Broering, pensou em desistir de seu sonho, pelo contrário ele pensa nos investimentos e melhorias que podem ser feitas. "Nós estamos trabalhando na implantação de novos laboratórios e na melhoria da estrutura que temos, para melhor atender nossos acadêmicos, exemplo disso foi a construção do teatro,"comenta.

Ao transformar-se em universidade, a Facvest passará a chamar-se Univest: Universidade Santa Teresinha. Os benefícios para Lages são imensos, vão desde o fornecimento de mão-de-obra especializada à soluções rápidas para problemas que a sociedade apresenta, como lembra Broering. "Se uma indústria se instala no município precisa de profissionais qualificados, não pode esperar. Se não encontrar o profissional na cidade vai buscar fora e a universidade tende a supri essas necessidades, sem que tenha que sair em busca do profissional",diz Geovane.

A instituição conta com programas de bolsas de estudos, de assistência e também de pesquisa e extensão, é quando a universidade deverá ampliar o número de bolsas e incentivar ainda mais a pesquisa. Além disso, conta com projetos que tramitam no MEC para implantação de cursos à distância. "Já está provado que o profissional que sai da Facvest sai preparado para o mercado de trabalho", argumenta Geovane. Ressalta que a instituição fornece os meios para transformar o acadêmico em um profissional, "mas cabe ao aluno buscar seus objetivos e maiores capacitações".




correiodoslagos

EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos