Traços que dão forma a uma arte expressa no papel

08 Junho 2019 11:14:44

Kely Matos - 661

Desde pequeno, Antonio Felipe Almeida Oliveira, que hoje tem 24 anos, já demonstrava o dom para as artes, especialmente o desenho. Filho de Edenilson Rodrigues de Oliveira e Isabel Cristina Brandão de Almeida, nasceu na cidade de Vacaria/RS, residiu por algum tempo em Caxias do Sul/RS, mas foi em Esmeralda que passou maior parte de sua vida e reside até os dias atuais.

Felipe, como é conhecido, lembra que começou os primeiros traços na escola, porém a dedicação à arte de transportar os traços de uma fotografia para o papel com lápis ou carvão, retornou com mais força no início deste ano de 2019.

Durante um período, o rapaz fez estêncil para estampar camisetas, mas atualmente o seu foco são os desenhos realistas com tons em preto e branco.

"Faz quatro meses que comecei a me dedicar aos desenhos realistas, pegar firme nas imagens com mais expressão. Muitas pessoas querem um desenho, não cópias fiéis de fotos", comenta o jovem que nunca fez cursos, e busca na internet em vídeos no Youtube, dicas e meios de se aperfeiçoar com desenhos e novas técnicas.

Felipe começou a desenhar com lápis comum, mas como precisava definir seus desenhos, iniciou a utilização de lápis 6B para alcançar as tonalidades desejadas, e recentemente iniciou os desenhos com carvão artístico, o que ele acredita ser mais prático.

Atualmente ele não trabalha e dedica 80% do seu tempo à arte do desenho. "Faço uma imagem por dia, mais ou menos, mas tudo depende do desenho, do tamanho... Se for com lápis levo em média oito horas, se for com carvão esse tempo reduz para umas duas horas, porém se eu precisar ampliar ou reduzir tamanhos, o tempo modifica", lembra.

O seu portfólio conta com muitas obras desenhadas em papel tamanho A4, para auxiliar no manuseio. O artista acredita que deve ter produzido mais de 400 desenhos desde o início das atividades. "Vou treinando muito, fazendo muitos rabiscos que tenho tudo guardado".

Perguntado sobre o apoio da família, Felipe enfatiza que a mãe o incentiva muito e sempre que possível leva seu portfólio para mostrar, assim como a avô que por algum tempo pintou telas com tinta a óleo e admira e incentiva o trabalho do neto. Ele lembra que na família não tem mais ninguém que trabalhe com esta arte.

"Quero me especializar, fazer cursos e desenhar ao vivo através das redes sociais, pois muitas pessoas querem ver o processo do desenho", destaca.

Quanto ao reconhecimento de seu trabalho e da sua arte, Felipe diz que poucas pessoas têm conhecimento, mas que pretende apresentar suas obras. "Poucas pessoas conhecem, mais os amigos, mas caso surgir uma oportunidade de expor meu trabalho, ficarei muito feliz."

Ele vê os desenhos como um hobby, diz que já ganhou algum dinheiro que o ajudou na compra de materiais e não vê a atividade como um trabalho, porém acredita que se por acaso sua arte se transformar em uma profissão, irá se dedicar.

Basicamente o material utilizado é papel grosso, borracha, lápis, régua e carvão artístico, ter uma boa foto de referência, porém já fez desenhos retirando imagens do celular e de revistas.

Para quem quer conhecer um pouco mais do trabalho de Felipe, basta acessar as redes sociais, Pinterest, Instagran (@felipe24oliveiraalmeida) e o Whats (54) 9 9940-6828. Ele destaca que quem quiser um orçamento pode enviar a imagem ou foto pelo Whats.


Imagens




correiodoslagos


EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos