Coluna Política

SC-390: Lamparina no fim do túnel?

Edson Varela - 709

Empresário que toca a Planaterra (a empresa mudou de dono) esteve em Anita. Dialogou com o prefeito sobre a obra parada na ligação asfáltica por fazer até Celso Ramos. O empresário deseja retomar os trabalhos. A questão seria a assinatura de liberação para retomada de atividades no trecho. "Quanto ao governo pagar o que deve, segundo ele são dois milhões e pouco de reais, pode se resolver depois. O que ele quer é a liberação da obra que ele daria a continuidade", informa João Cidinei.

No relato repassado ao prefeito, a Planaterra estaria com pedreira à disposição e maquinário em condições da retomada. Contrataria umas 100 pessoas na região para a obra. "Eles concluíram outra obra e para não ficarem parados, estariam dispostos à retomada aqui, pois a obra está licitada e iniciada", diz João Cidinei. A comunidade da localidade de Santo Antônio está pedindo que a prefeitura melhore o trecho. "Não podemos mexer porque é estrada estadual e que pode ser retomada a qualquer momento".

SC-390: Mais que horrível no trecho de Anita

Enquanto o prefeito João Cidinei passa a bola para o governador Carlos Moisés, ali no lado de Celso Ramos a estrada está um tapete. Equipe do prefeito Ondino Medeiros colocou até brita na rodovia. Para se ter ideia, nas imediações de algumas localidades situadas nas margens da estrada até um trator joga água no trecho para conter um pouco dessa poeira danada causada e aumentada pela falta de chuva.  

Os relatos de quem utiliza a estrada indicam que o lado de Anita 'está mais que horrível'. Tem pedra solta, buracões e um caos instalado no trecho até a divisa com Celso Ramos. Esse aceno do gestor da Planaterra, embora gere certo otimismo, a realidade não é tão promissora. Por conta da pandemia, o Governo do Estado suspendeu ações que necessitem de aporte. Ou seja, de desculpa em desculpa, a população segue à mercê dessa obra que já era para estar pronta lá nos tempos de Colombo (no caso Colombo o governador e não o descobridor da América).


Desafio do prefeito João Cidinei é convencer o governador Moisés a assinar a retomada da obra de asfalto até Celso Ramos. A empresa aceita executar os serviços fiado na base do ?paga depois?

SOBRE MERENDA EM ANITA - "Não sei de onde o vereador Ina fala que não estamos fazendo. Estamos fazendo a entrega desde o início. Tudo devidamente informado e documentado", explica o prefeito João Cidinei sobre a sugestão do vereador Ina Matos de distribuir merenda às crianças da rede municipal que estão sem aula. "Não todas as crianças, mas aquelas cujas famílias recebem Bolsa Família, com cadastro na Assistência Social, recebem esse auxílio desde o começo da quarentena", esclarece o prefeito de Anita. Ele lembra que inclusive a nutricionista contratada como ACT não foi desligada porque sua função é essencial nesse preparo da merenda.

CINQUENTA PILA - Prefeito Tito Freitas adotou estratégia diferente para ajudar crianças que estão sem aula na rede municipal de Capão Alto. Cada criança recebe um valor de R$ 50,00 para ajudar as famílias na aquisição de alimentos. Ao invés de distribuir merenda, vai a ajuda financeira para que as famílias vão ao mercado e comprem o que desejarem para alimentação. Ajuda a criança, a família e os estabelecimentos comerciais do município.


Tito Freitas e o ?vale merenda? em forma de dinheiro para crianças em Capão Alto

EXEMPLO DE CELSO RAMOS - Nesses tempos de crise, com redução de arrecadação e angústia devido a hipótese nunca descartada de situações imprevistas, município de Celso Ramos repousa numa situação financeira privilegiada. Apesar da pandemia e a estiagem que repercute no retorno de royalties aos cofres municipais, há um planejamento que permite tocar a peleia com a manutenção das ações essenciais até o final do ano.

AINDA CELSO RAMOS - Há um trabalho de referência para a região na área da saúde e ações em outros setores, inclusive com obras a partir de recursos próprios. Aliás, executar obras com recursos próprios é coisa bem rara na Serra Catarinense nesses tempos em que os prefeitos estão apertando a chincha. Há de se admitir que Ondino Mereiros, lá no começo da gestão não tinha aquele gingado de político experiente. Mas essa postura de gestão sugere que o povo não quer tapinha nas costas, mas resultados nas ações. E isso tem aparecido em Celso Ramos.


Ondino aqui com o colega prefeito João Cidinei e uma gestão em Celso Ramos que serve de referência na Região dos Lagos

VARGEM E O INSS - Com a cautela quase cirúrgica porque envolve gente que se encontra nas peleias do cotidiano, presidente da Câmara, Roberto Mendes Spolti (PSB) administra a problemática sobre valores que deveriam ser (e não foram) depositados na conta do INSS. Montante resulta da retenção de contribuição previdenciária de servidores e vereadores. Houve ofício assinado pelo Procurador-Geral do Município de Vargem, advogado Vinicius Brandalise, onde solicita que a Câmara regularize (pague) os valores devidos. Salienta Brandalise que Vargem tem recursos para receber de emendas federais, e tal irregularidade poderá levar ao cancelamento de tais aportes. "O município necessita da regularização da situação com extrema urgência". É o ultimato, não sem razão, do Procurador em ofício endereçado ao Presidente da Câmara.


Dívida da Câmara com INSS pode causar problemas para a Prefeitura de Vargem acessar recursos federais

RESPOSTA DA CÂMARA - Ao ofício do Procurador Vinicius Brandalise houve resposta do presidente Roberto Mendes Spolti diretamente à prefeita Milena Lopes. "Temos a total consciência dos valores não recolhidos ao INSS, de responsabilidade exclusiva do Poder Legislativo de Vargem". Sem citar o nome do vereador Adriano Padilha, que confessou em entrevista na Rádio Cultura de Campos Novos não ter efetuado os recolhimentos devidos, o presidente da Câmara explica sobre o afastamento do vereador na condição de servidor (técnico em contabilidade). Spolti explica que a empresa contratada para apurar as inconsistências, apontou uma dívida, inicialmente, no valor de R$ 30 mil. "O Legislativo não tem esse ou outro montante para quitar essa dívida. Mas está solicitando o parcelamento de montantes não recolhidos, em valores que fiquem dentro das condições da Câmara pagar", explicou à prefeita o presidente da Câmara.

TALVEZ R$ 300 MIL - Quando da inconsistência detectada, o vereador Adriano Padilha devolveu R$ 75 mil num depósito na conta da Câmara para fazer frente aquilo que supostamente havia se apropriado. O gesto do vereador até demonstrou boa vontade e arrependimento. Porém, os dados não são definitivos, mas há indicativo de que a dívida restante com o INSS é superior aos R$ 30 mil. Referem-se a valores que não chegaram até o Instituto desde 2016. Naturalmente que merece verificação se esses montantes de anos atrás também são decorrentes de atuação de Padilha ou outra incorreção. Mas o somatório de 2016, 2017, 2018 e do ano passado chega ao expressivo valor de R$ 309.011,44. Montante que segue aumentando diariamente em função da correção que é aplicada para a impontualidade.


Levantamento atualizado da dívida desde 2016 com valores que deveriam ter sido depositados ao INSS

CARMEN NÃO QUIS - Noticiário que misturou pandemia e política no final de semana foi o convite do governador Carlos Moisés para que Carmen Zanotto deixasse o mandato de deputada federal e assumisse como Secretária de Estado da Saúde. Talvez porque assumiria uma área cheia de encrenca em tempos de coronavírus, talvez por causa do desgaste do atual governo, talvez porque quer concorrer à prefeitura de Lages, talvez por tudo isso, a deputada disse NÃO. Argumentou que seguirá ajudando a combater a pandemia como parlamentar em Brasília. Mas como Secretária de Estado da Saúde não.






correiodoslagos

EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos