Coluna Política

Quantas candidaturas em Campo Belo?

Edson Varela - 716

Destacando o PSD com três nomes para a disputa em Campo Belo (vereadores Ivo Tadeu Oliveira, Ivan Bueno e Doutor Célio), percebe-se a quantidade de pré-candidatos no município. Ademir da Guia Martins garante que é pré-candidato e com um detalhe: só na cabeça. Quer ser prefeito pelo Cidadania. Temos ainda o PP com dois nomes: Ex-prefeito Firmino Aderbal Chaves Branco e a nora dele, a vereadora que já atuou como secretária da Saúde, Claudiane Varela Pucci.

Somados a esses nomes, temos ainda as pré-candidaturas postas de Guilherme Manfrói Peixe (PSL) e Dauri Fernandes que constrói projeto de agregação pelo MDB. A partir desses nomes postos, surgem as seguintes interrogações: O PSD aceitaria não lançar prefeito, compondo como vice? Ademir da Guia se recolheria de ser o cabeça? O PP poderia não indicar o candidato a prefeito? Guilherme Peixe poderia não levar adiante seu projeto? O MDB vai eleger três vezes o prefeito na sequência?

Se as respostas indicarem que o PSD vai ter candidato, Ademir da Guia não se recolhe de ser cabeça, o PP vai até o fim e já tem até vice, Guilherme Peixe não recua pelo PSL e o MDB jamais deixaria de ter candidato, significaria que teremos cinco candidaturas a prefeito em Campo Belo. Será que vinga ou os partidos se unem para lançar duas ou no máximo três chapas?

FALANDO EM CAMPO BELO... - Ficou bonito para um pré-candidato a vice-prefeito participar de festa no final de semana no interior de Campo Belo, com direito até a discurso. Nesses tempos de pandemia, a ideia de não aglomeração é mais que discurso. Precisa ser prática e os políticos devem dar exemplo. Ademais, vice é aquele personagem que nem precisa arrumar votos, mas não pode fazer o candidato perder. Logo, os mais afoitos devem se recolher a sua 'significância'.

DÍVIDA DE ANITA: R$ 14 MILHÕES? - Um relatório de valores a pagar que consta no Portal Transparência deu o que falar em Anita. Tudo porque o montante chega a expressivos R$ 14.018.632,08. Significaria que a dívida original que estava na casa dos R$ 10 milhões, ao invés de diminuir ainda teria aumentando mais R$ 4 milhões. "E isso que no somatório desse mandato o atual prefeito administrou mais de R$ 100 milhões. Dinheiro que entrou nos cofres", dispara o vereador Ina Matos (PP) que não se conforma com o que chama de caos financeiro na Prefeitura de Anita. 


DÍVIDA DE ANITA: R$ 2 MILHÕES? - Prefeito João Cidinei garante que não procede essa história de dívida de R$ 14 milhões. Eis seu relato: "Isso é mentira. Os vereadores falaram isso na Câmara e vou até pedir retratação porque isso é mentira. O que eles fizeram? Eles entraram no Portal da Transparência, mas não sabem mexer. O que eles olharam? O que temos orçado até o final do ano com cada empresa e que dá R$ 14 milhões. Para chegar a uma dívida dessas teria que pegar todos os produtos e serviços lançados e não pagar ninguém. Daí chegaria ao final do ano devendo esse valor. Então isso é um absurdo. Eu não devo mais que R$ 2 milhões que é normal, é o orçamento do ano".

DADOS DE JOÃO CIDINEI - Segundo o prefeito de Anita, até o final do ano passado foram pagos (isso em três anos da atual gestão) R$ 5.512.000,00 de dívidas de administrações passadas. "E esse ano pagamos mais um montante que estamos fazendo o levantamento para divulgar. Mas posso garantir que já chegamos a R$ 6 milhões de dívidas pagas de administrações passadas". Segundo João Cidinei, das administrações anteriores ainda há um somatório de R$ 2 milhões por pagar. Ele garante que irá apresentar esses dados para deixar bem claro qual a grande obra que está executando que é o pagamento das heranças recebidas.


AINDA A MENTIRA DO ROLO - Assunto do rolo (equipamento de compactação do solo) acabou rendendo o carimbo de mentiroso ao prefeito João Cidinei? Ele nos garantiu que a máquina estava encostada aguardando reparo fazia 90 dias. Vereador Ina Matos disse que há oito meses a máquina estava lá. E veio outro vereador reforçar as palavras de Ina: "O rolo está lá na localidade da Cachoeirinha faz oito meses. Passo por lá todo dia e sou testemunha disso. O vereador Ina está certo", garantiu o vereador Célio Xavier (PSD). Não tenho informação se o rolo foi recuperado ou se continua o rolo.


VENDA DE TERRENOS BATEU NA TRAVE - Prefeito João Cidinei já sabia do resultado, mas mesmo assim resolveu insistir com o projeto para venda de dois terrenos ao lado do Fórum. No mesmo dia que entrou o projeto foi analisado, votado e rejeitado. Vereadores nem entraram no mérito da destinação do dinheiro. É que o projeto tinha um vício de tramitação. Ocorre que o pedido para vender as áreas fora apresentado e rejeitado no final do ano passado. Portanto, não fazia um ano do trâmite anterior. Somente se a maioria absoluta (seis vereadores) pedisse que o projeto voltasse, ele poderia tramitar. Agora o prefeito terá que buscar outra fonte se desejar fazer as obras pretendidas.

SALÁRIOS EM CAPÃO ALTO - Vereadores Jaissom Moraes, Kleiton Lopes com a ajuda da vereadora Jana (Janaice Mortari Freitas) combateram o bom combate. Tentaram reduzir os salários da próxima legislatura (não se sabe quem será prefeito, vice ou vereador). Mas com cinco votos contrários à redução de salários, os valores ficaram nos atuais patamares. Cláudio Correa, Sadiana Lopes, Nalor Damasceno, João Edeir e Miguel Pereira votaram pela manutenção dos atuais valores salariais para a próxima legislatura. 

SALÁRIOS ATUAIS NO CAPÃO - O futuro prefeito de Capão Alto receberá R$ 11.727,99 que é o salário atual do prefeito. O vice receberá aquilo que Zezo Pires recebe atualmente: R$ 5.863,99. Cada secretário embolsará os mesmos R$ 4.137,35. O projeto previa reduzir apenas 4,5% desses salários. Prefeito ficaria com R$ 11.200,00 e vice R$ 5.600,00. Com a rejeição da redução, cada um dos nove vereadores seguirá embolsando R$ 3.739,44 para atuar no parlamento de Capão Alto. Ideia de retirar 18% desse valor dos vereadores deixando o salário em R$ 3.066,34. Mas a ideia não vingou! 


ABDON BATISTA - Município tem uma situação interessante. Enquanto a oposição aposta suas fichas no ex-prefeito Abelha, o prefeito Lucimar Salmória ainda não tem aquele nome de grande fortidão para lhe suceder. E se por um acaso o Abelha não possa disputar (hipótese da questão judicial), um dos nomes que poderia ser convencido à disputa é da farmacêutica Laís Mocelin, esposa do vereador Severino Mecabô. De todos os nomes, ela seria aquela com menor rejeição pelo trabalho que desenvolve.


MAIS ABDON 2020 - Embora o primeiro plano seja o nome do ex-prefeito Abelha, a oposição também tem alternativas, como da farmacêutica Laís. Já o grupo que administra atualmente Abdon Batista precisa encaixar uma boa parelha para tentar fazer o sucessor e manter o trabalho de Lucimar Salmória que, convenhamos, ele é um dos melhores gestores aqui na Serra Catarinense. Mas gestor bom se não preparar bons nomes, não faz sucessor, mesmo que mereça fazê-lo. 

AJUDA PARA VARGEM - Embora tenha enfrentado a má notícia do primeiro caso de morte por Covid-19 em seu município, o mês de junho foi também de boas notícias para a prefeita Milena Lopes (PL). Ela recebeu um telefonema do senador Jorginho Mello confirmando a destinação de R$ 900 mil em emendas para Vargem. São esses recursos que permitem que municípios consigam ir além da atuação cotidiana que a receita própria permite.







correiodoslagos

EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos