JC: Vitória nas urnas e na Justiça

Edson Varela - 739

"O João sempre surpreende. A gente não sabe de onde ele tira essas jogadas, mas não existe causa perdida. Anota o que estou dizendo". A gente anotou, acompanhou, noticiou e o desdobramento chegou. É algo tão positivo ao prefeito reeleito que noticiamos com calma, diante de alguma situação adversa não prevista. De qualquer forma e interpretação, atacando a razão da impugnação de sua candidatura na origem, João Cidinei da Silva está prestes a consumar no viés judicial aquilo que as urnas lhe deram: o segundo mandato de prefeito.

Havia uma leitura de certa dificuldade para reverter a impugnação da candidatura no âmbito de Justiça Eleitoral. O TRE/SC impugnou, no TSE foi mantida a impugnação e um último suspiro seria um Agravo de Instrumento de decisão favorável pouco provável. Daí veio a liminar obtida em âmbito de TJ/SC que entendeu pela existência de vícios na sessão da Câmara de Anita que rejeitou as contas de João Cidinei, relativas a 2018.

Esse entendimento sepulta a razão de indeferimento da candidatura. Porque se não há contas rejeitadas, não há como castigar alguém por isso. Os tribunais devem se comunicar, a partir da atuação dos advogados de defesa do prefeito reeleito, permitindo a ele a diplomação e, por tabela, a posse para o segundo mandato em 1.º de janeiro. Se este ano tem sido de angústia e lamento para muitos, João Cidinei da Silva não tem do que reclamar. Pode se considerar um vitorioso nas urnas e além delas!


Prefeito reeleito João Cidinei aqui na prosa com o governador Moisés, de quem espera mais parcerias no segundo mandato do anitense


DE ALMA LEVE - A maioria tranquila conquistada nas urnas para a próxima legislatura da Câmara permitirá João Cidinei a desenvolver uma gestão ainda mais tranquila. Tem o vice do mesmo PL, assim como presidente da Câmara e maioria entre vereadores. Garantido o segundo mandato, nem o próprio prefeito reeleito imaginava um desfecho tão favorável em Anita. Alguns falarão em sorte, mas só JC sabe das angústias enfrentadas no caminho tortuoso para chegar até aqui.

AÇÃO E ATENÇÃO - Se o Juiz Eleitoral, titular da Comarca de Anita, José Antônio Varaschin Chedid, não viu razão para impugnar a candidatura de João Cidinei, a Promotoria de Justiça analisou de outra forma a questão da rejeição das contas, levando ao recurso no TRE/SC. E essa atenção do MP se manterá ao longo dos dias que veem, visto que existem desencontros de dados naquilo informado ao TCE/SC. Embora, desde o princípio, o prefeito tenha justificado a razão das inconstâncias financeiras na gestão, atribuindo isso à herança daqueles que sucedeu. 

PREJUÍZO AO TADEU - Ele perdeu a eleição para Ivonir Fernandes em 2012 por menos de 100 votos. Fora eleito vice-prefeito em 2016 e pretendia concorrer em 2020. Mas a rejeição das contas de 2018 o fez se recolher. Se soubesse que as contas rejeitadas que também o incluiu (porque fora prefeito naquele ano) teriam a sessão anulada, conforme decisão liminar do TJ/SC, Tadeu Furtado poderia ter ido às urnas como candidato a prefeito pelo PSD. A presença dele como candidato a prefeito neste ano alteraria a ordem das coisas nas urnas. Em que sentido haveria tal alteração nunca iremos saber, mas Tadeu Furtado acabou sendo o mais prejudicado nesses desencontros da análise das contas de 2018. 


Tadeu Furtado não perdeu a eleição, mas perdeu a oportunidade de concorrer

OPOSIÇÃO MURCHA - Se João Cidinei embarca num novo mandato nadando de braçadas, seus opositores remoem uma derrota coletiva. Excetuando Henrique Menegazzo que debutou na disputa ao lado de Salete Forest e os números não lhes são de envergonhar, os demais murcham pelos fiascos nas urnas. E tudo por causa da ganância. Entenderam que João Cidinei estava abatido, derrotado e saiu cada um para um lado. Do MDB ao PSD, passando pelo PT, PP e Cidadania, todos amargam a derrota e a lição de que quem muito quer...

CAMPO BELO - Embora Ademir e Ivo tenham optado por disputar a majoritária, assim como Claudiane Pucci, exitosa nas urnas à prefeita, e nomes como Ivan Bueno, Belau e Mocelin não tenham ido à reeleição, a renovação na Câmara de Campo Belo foi significativa. Voltam ao Legislativo para mais um mandato somente os vereadores Shampoo e Corvo. Destaque para o mais votado, Macson Pucci, que somou 343 votos. Se a prefeita eleita dialogar, faz a maioria e a presidência da Câmara. E consegue governar com tranquilidade. 


Macson do MDB foi o vereador mais votado em Campo Belo

TRANSIÇÃO EM CBS - Trocamos rápida mensagem com a prefeita eleita de Campo Belo do Sul, Claudiane Pucci. Informou que na terça-feira, 01, apresentara ofício ao prefeito Doutor Tadeu, indicando a equipe que coletará os dados para a transição. Há quem aponte a tímida quantidade de ações de maior vulto em Campo Belo na gestão que ora se finda. Pode até ter sido uma administração mais discreta, porém isso repercute em menor endividamento. Situação que a transição irá confirmar agora em dezembro antes da posse da nova prefeita.

Claudiane irá encontrar uma prefeitura com menor volume de endividamento em Campo Belo

CÂMARA ASSIM - Único nome eleito pelo MDB à Câmara, professora Geneci, dá indicativo de que pretende fugir do 'mais do mesmo' no parlamento anitense. Primeiro gesto após eleita foi promover uma reunião virtual com a participação do vereador mais votado de Floripa, o Marquito. Na pauta, o propósito de clarear sobre as reais atribuições e funções do vereador no Legislativo. Há otimismo com a chegada da nova safra de vereadores à Câmara, porque a atual, no momento que resolveu bater de frente com o prefeito, acabou saindo do protagonismo.


Professora Geneci é uma das sete novidades na Câmara de Anita

TOM EM ABDON - Neste sábado, dia 05 de dezembro, Alfredo Palavro completa 19 anos. É um dos vereadores mais jovens eleitos na história aqui da Região dos Lagos. Faz lembrar Rui Duarte aqui em Anita lá no começo da década de 1970. Palavro, Sérgio Freitas (PL) e os outros eleitos pelo PSD (Kleber Salmória, Nide de Oliveira, e Elder Zanchett) formam a maioria de oposição ao prefeito eleito Jadir de Souza (Dile). Vejo uma atuação atenta da oposição em Abdon, exigindo diálogo e jogo de cintura da nova gestão.


Palavro integra o grupo de oposição à futura gestão em Abdon

TCHAU IMPEACHMENT - Para Santa Catarina a solução dada, com retorno de Moisés ao cargo, foi a mais adequada. O Estado vive um momento que exige liderança na tomada de decisões e execução de ações. Mas a costura do retorno de Moisés, que passou por Júlio Garcia, pode representar a agregação do PSD no Governo do Estado. Só o ex-governador Colombo tem esperneado contra a adesão. As demais lideranças optam pelo silêncio. Há possibilidade de outros espaços ao PSD na gestão de Moisés.


Moisés e o presidente do PSL, Schiochet, na felicidade do retorno do comandante ao cargo

OUTRO IMPEACHMENT - Inclusive até onde a gente sabe, o outro pedido de impeachment - em tese mais robusto que o primeiro, porque trata do escândalo dos respiradores - não deverá prosperar. O assunto até irá à votação em plenário na Alesc. Mas parlamentares do PSD e MDB atuarão como bombeiros, ajudando a livrar Moisés de outro afastamento. Esse ajuntamento do governador a partidos como PSD e MDB evidencia que a 'nova política' era mesmo ficção.



correiodoslagos

EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos