Expofeira: O modelo de Campo Belo

02 Maio 2019 15:52:00

Por Edson Varela - 656

Campo Belo acertou a mão quando o assunto é evento que soma e não deixa encrenca (gastos) para o poder público resolver depois. Se em alguns municípios - e Anita Garibaldi é exemplo disso - realiza-se festas com shows e atrações que precisam que os cofres municipais fiquem amargando as despesas, Campo Belo opta por um evento econômico. Assim, a economia é potencializada, o setor produtivo nas várias áreas, tem oportunidade de apresentar o que se faz nestas terras e, no final, o balanço sempre será positivo.

Foi a segunda edição da ExpoFeira colocando 70 expositores no Parque do Sobradinho. Dos experimentos na Noite de Campo à feira do Terneiro e da Terneira, tudo saiu a contento. Nem a 'chuvarada se metendo a besta' na tarde de sábado molhou o ânimo dos organizadores. O modelo de realização com Sindicato Rural, Prefeitura, voluntários, empresários e parceiros, tudo soma para tornar Campo Belo esse exemplo de produção e de êxito na exteriorização de suas potencialidades econômicas, através de um evento.


FESTA DE ANITA - Volta e meia o assunto pipoca ali no segundo pavimento do Paço onde os vereadores exercitam seus questionamentos que nem sempre têm eco no outro lado do prédio. Trata-se dos números finais da Festa do Migrante bancada pela Prefeitura de Anita. Afinal, veio dinheiro do Estado para ajudar? O evento deu prejuízo? A experiência recomenda não se aventurar mais nesse tipo de iniciativa? Os dados reais responderiam essas indagações.


ESTÁDIO OU CAMPO - Prefeito interino Zezo Pires nos esclarece sobre a informação de Tito Freitas em relação a uma obra em Capão Alto. Na verdade, não se trata de um estádio na concepção ampla do que uma estrutura dessas representaria que está sendo construído com recursos próprios. É um campo de futebol ali ao lado da serraria. Aquele que existia até então, para não perder recursos federais, o então prefeito Bota construiu a creche em cima. É uma obra bem importante para Capão Alto.


CAPÃO ALTO I - Causou polêmica em Capão Alto a decisão da Mesa Diretora da Câmara de reativar a concessão de auxílio alimentação aos servidores do Legislativo. Fixado em 2011 pelo então presidente Nelson Lima de Souza, através da resolução 106/11, o benefício estava desativado e voltou a ser pago no valor de R$ 450,00.

CAPÃO ALTO II - Quando da criação do Auxílio Alimentação em 2001 com vigência para o ano seguinte, a justificativa (verdadeira) é que esse benefício é concedido pelos legislativos, pelo Judiciário e até os Tribunais de Contas dos Estados. Quando da criação, o valor era de R$ 60,00. 

DESIGUALDADE - Entre as ponderações que chegaram sobre esse quase meio salário mínimo mensal a título de Auxílio Alimentação aos servidores da Câmara, está o fato de que aos servidores municipais (da Prefeitura), o benefício não foi estendido. "Nada contra que eles ganham, mas os demais deveriam ter o mesmo direito. Até porque, não é porque trabalham na Câmara que aqueles servidores merecem fazer um rancho melhor que os demais do município". 

VARGEM 2020 - "Meu vice-prefeito e amigo de todas as horas". A manifestação da prefeita Milena Becher (PR) em rede social sobre a boa relação de trabalho com o vice Santelmo (PT) é um indicativo claro sobre a ideia de repetir a dobradinha para 2020. Até porque, time que atua entrosado não carece de mudança. 


AINDA EM VARGEM - Numa evidência dessa harmonia política liderada pela prefeita Milena, ela tem cumprido agenda na busca de recursos e atendimento de demandas juntamente com vereadores de Vargem em Florianópolis. A prefeita sabe da relação das lideranças locais com parlamentares e isso ajuda a abrir portas e garantir o comprometimento de deputados para ajudar o município. Numa das agendas neste mês, Milena esteve na Alesc acompanhada dos vereadores Ivo dos Passos e Tadeu Bortolini.


CRONOGRAMA EM ANITA - Vereadores Célio Xavier e Nilto De Menech fazem uma sugestão pertinente. Atualmente quem reside no interior não faz qualquer ideia sobre a presença das máquinas da prefeitura recuperando estradas e executando melhorias diversas. Os vereadores sugerem que a área de Obras elabore um planejamento com cronograma de onde irá atuar. Claro que se surgir emergência desloca a equipe a outro trecho, mas na atuação cotidiana seria salutar informar previamente as pessoas sobre essas intenções. A menos é claro que se trabalhe hoje sem saber o que será feito amanhã. Daí a solução é rezar e não planejar!


MP arquiva inquérito contra ex-prefeita

Inês Terezinha Pegoraro, que administrou Celso Ramos antes de Ondino Medeiros, fecha o mês de abril de alma lavada. O Ministério Público encaminhou a ela o ofício n.º 0147/2019 informando o arquivamento de Inquérito Civil 06.2014.00005010-0. O procedimento fora aberto para analisar supostas irregularidades decorrentes da prestação de contas em um dos exercícios da gestão como prefeita. Entretanto, no documento assinado pelo Promotor de Justiça da Comarca de Anita, Guilherme Dutra se aponta como "sendo possível concluir inexistir justa causa apta a ensejar a propositura de Ação Civil Pública".

No referido documento segue a manifestação da Promotoria de Justiça esclarecendo que "em outras palavras, não há qualquer indício levantado pelo Tribunal de Contas, tampouco apurado no curso deste Inquérito Civil, no sentido de que tenha existido fraude, desvio, superfaturamento, ou qualquer outra circunstância suficiente a caracterizar o dolus malus do Administrador Público". O despacho do Promotor de Justiça ainda faz referências a irregularidades que levaram o TCE/SC a recomendar a rejeição das contas "mas que não se constituíram em ato de improbidade administrativa em nosso olhar".








correiodoslagos


EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos