Ser agricultor familiar é trabalhar pelo próprio sonho

06 Agosto 2018 16:35:26

Thaís Soares - 617

Tranquilidade, liberdade, ser donos do próprio negócio, batalhar pelo próprio sonho trabalhando juntos na agricultura familiar. Assim o jovem casal Eliones de Matos (34 anos) e Rojieli Scarmagnani de Matos (30 anos) definem sobre o que mais lhes faz felizes em serem agricultores.


Moradores da comunidade do Flor Azul, interior de Anita Garibaldi, há 12 anos estão casados, são pais de Guilherme (7 anos) e Karen (5 anos).


O amor pela vida no campo é herança dos pais de Eliones e Rojieli. Ele natural da comunidade do Divino e ela do Flor Azul. "Somos filhos de agricultores e aprendemos desde cedo a gostar dessa profissão", destacou o casal.


Os pais de Eliones trabalhavam com leite e a família de Rojieili com fumo. Quando casaram, há 12 anos, decidiram investir nas duas culturas inicialmente, como explica o agricultor: "Então eu trouxe algumas vacas de leite e continuamos vendendo fumo, mas trabalhamos com fumo por três anos apenas. Depois passamos a investir só no leite".


O plantio de hortaliças e produção de ovos são os outros meios escolhidos pelos agricultores. Há um mês está em funcionamento na propriedade, a Granja Ovos KERG - que leva as iniciais dos componentes da família - sendo a primeira granja registrada da Região dos Lagos. "Primeiro pensamos em investir na venda de ovos de codorna, mas fomos analisando que não valia a pena. Vimos que o consumo de ovos de galinha era maior, fizemos as contas de tudo e iniciamos. Sempre cultivamos, mas agora o ramo dos ovos está sendo ampliado. Será vendido no comércio, respeitando todas as exigências e normas", comentaram.


A busca por conhecimento através de cursos de capacitação e aplicação das inovações tecnológicas fazem parte da vida e do trabalho do casal. "Estamos sempre investindo, se aperfeiçoando nas mais diversas áreas relacionadas tanto ao leite quanto outras culturas. Nossos pais também sempre buscavam e buscam se aperfeiçoar, aprendemos com eles a importância de estar sempre se atualizando."


O agricultor está sempre com a influência do clima, tem dificuldade dos preços do que produz, que pra vender são baixos, pela pouca valorização, e o custo de produção é muito alto, por isso a margem de lucro é muito pequena, como definem Eliones e Rojieli.


Pensando no futuro, eles pretendem continuar trabalhando bastante, se dedicando, para ter um futuro mais tranquilo. "O que determina nosso salário é a medida que trabalhamos. Fazemos o nosso salário. Tem que gostar de tudo isso, porque é bastante serviço", citaram.


O desejo que os filhos prossigam com o trabalho e a vida no campo é uma preocupação dos pais. "Queremos que eles continuem aqui, mas com formação, pois é de extrema necessidade, porque as coisas vão mudando e é preciso acompanhar. É preciso ter planejamento e buscar conhecimento", comentaram, destacando que os recursos disponíveis nos centros urbanos, hoje em dia também estão acessíveis no meio rural, como a internet, por exemplo.


O trabalho deles é pensando no futuro dos filhos. "Buscamos alternativas para eles continuarem vivendo no sítio. Tentando mostrar que dá para sobreviver aqui e ser feliz, nunca pensamos em morar na cidade apesar das dificuldades que já enfrentamos", concluíram os agricultores.


Imagens



correiodoslagos


EDITORIAS
1547797947.jpg

Rua Frei Rogério, 405, Sala 2, Centro, Anita Garibaldi, CEP 88590-000
Fone (49) 3543-0260

Redação: redacao@jornalcorreiodoslagos.com.br

Comercial: comercial@jornalcorreiodoslagos.com.br

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Correio dos Lagos